domingo, 10 de janeiro de 2016

Bucólico






Simples e discreta, escondida de ti , quase invisível,
A meio da encosta, lá adiante, aquela casinha branca.
Do lado de lá do ribeiro, do outro lado do caminho,
quem passe meio distraído, não a vê nem  adivinha!



Pequenos e suaves  pés prendem na terra aquela flor...
Bem te quero ó malmequer, nascido sem mal de amor.
Do lado de cá do ribeiro, deste lado do caminho,
quem passeie o olhar,  entra em casa de mansinho...



Sem comentários: