sexta-feira, 5 de março de 2010

POETA, que o és!!

*




Hoje venho de longe
ler em cada verso (a verso)
uma lágrima não chorada
uma luz ainda por nascer
uma manhã (s)em poesia

Abro a janela de mansinho
deixo-te folhas de papel
um lápis de qualquer cor
A carvão de azul ou mar

Pouso suavemente uma mão
Uma mão cheia de palavras
Para nascerem novas manhãs
E poeta ao acordares digas:

- Hoje nasce de mim a poesia...

Parto no silêncio da noite
Deixo entreaberta a janela
Ao chegar o primeiro raio de sol
Junta as palavras e renasce...

(A cada verso, por tuas mãos)

POETA, que o és!!



( Nov 2007 )



*

4 comentários:

João de Sousa Teixeira disse...

Muito bom, este poema.
E sabes que mais?
-quem quiser que venha aqui buscar metáforas...
(E andava o Carteiro de Neruda tão preocupado com isso!)

Beijinho
João

Nilson Barcelli disse...

Belíssimo poema. Gostei imenso.
Feliz dia da mulher, querida amiga.
Um beijo.

t3resopolis disse...

Chego tarde ... pufff puffff mas chego! o poema é lindo
e me junto a ti Mulher/Amiga

Saudades... já começo a ter a caixinha das saudades cheia !

t3

poeta_silente disse...

Oi, minha linda!!!!!!!!!!
Saudades....
Mas, quanta alegria ao ver aqui esta poesia belíssima.
Vejo que estás cada vez te aprimorando mais e nos permitindo ler textos e poesias dignos de um escritor profissional.
Eu cá na minha falta de tempo e de internet.
Que Jesus te abençoe, minha querida. A ti e toda tua família.
beijos muitos...
Miriam