quarta-feira, 19 de dezembro de 2007

Regresso à terra ( ... Raia II )

Primavera na Raia II - 2007
acrílico sobre tela , 100 x 150 cm, de © L. Silveira
http://www.luis-silveira.com/





PRIMAVERA NA RAIA II


«Aqui, a matriz é de oiro intenso
e o vento descuida o passaporte.
Manda o sol. E, com um pouco de sorte,
é a este lugar que eu pertenço.

Por agora, é na raia beirã que penso,
na Campina impressiva e forte.
Além, espanhas, o horizonte, o corte
umbilical, nivelado e denso.

Deixo no trigo, já segado, o meu olhar
diluir-se entre a filigrana e os lilases.
Regresso à terra, faço as pazes

com este chão materno que me implora
o verbo e a alma sem demora
e me obriga, mais uma vez, a sonhar. »


João de Sousa Teixeira

Dez. 2007




Música: "Horizon" - Aria. Vol.2

10 comentários:

carlos disse...

quem é este poeta, zé?

grande soneto...

carlos disse...

na espanha lusa me apreendo
rasuro os sóis e a alma
feneço a morte e a noite
sophia faria amor nesta areia solar

In Loko disse...

Lindíssimo minha amiga..."Deixo no trigo, já segado, o meu olhar
diluir-se entre a filigrana e os lilases.
Regresso à terra, faço as pazes".

Muito sentido este poema em amor à terra!

E a pintura de L. Silveira continua a encantar-me!!!

Adorei isto MJ

Beijinhosssssssssss

Alexandra disse...

"(...)E, com um pouco de sorte,
é a este lugar que eu pertenço."

E é tão gratificante sabermo-nos pertencentes a um lugar...

A escolha do texto e da pintura estão magníficos M. José. Parabéns!

Sabendo e deixando bem claro que tenho disso consciência, peço desculpas por não te estar a responder como mereces. A seu tempo terás todas as respostas.

No entanto e para já gostaria de te desejar um Bom Natal, junto de quem amas!

Beijos M. José e obrigado por tudo!

DE-PROPOSITO disse...

Uma pintura, manchas de tinta. E perante elas, cada qual interpreta à sua maneira. E vê os sonhos como desejava que fossem.
FELIZ NATAL
Felicidades.
Manuel

Daniel Aladiah disse...

Festas felizes, Maria José!
Um beijo
Daniel

Nilson Barcelli disse...

Gostei do poema que escolheste.
Mas não conheço o poeta...
A pintura é excelente.
Boa semana, beijinhos.

Manuel da Mata disse...

Maria José,

"Primavera na Raia II" é um soneto muito belo, que prima pelo equilíbrio e por uma espécie de amenidade clássica.
O João é tão grande poeta como pessoa.

Um abraço,
Manuel Barata

poeta_silente disse...

Pois..
"com este chão materno que me implora
o verbo e a alma sem demora
e me obriga, mais uma vez, a sonhar."

Minha querida... o verbo (ação) e a alma (sentimento)... Quando sentimos tão dentro que é hora de sonhar... voltamos ao nosso "chão", ao nosso "eu puro", nos permitindo ir em busca de novos sonhos...

Meus sonhos são dirigidos por Deus. Eu entrego a ELE todos os meus desejos e necessidades. E ELE que dirige minha vida. ELE sabe o porquê, o quando... E isto me dá forças para estar sempre no "lugar que pertenço"... a sonhar...

Beijos
Miriam

Daniel Aladiah disse...

Feliz 2008, Maria José!
Um beijo
Daniel